Artigos Ideval Munhoz

T-Systems e SAP: acelerando uma TI cada vez mais dinâmica

A tecnologia está cada dia mais inserida na realidade das empresas e pessoas. O mundo está cada vez mais digital, conectado e dinâmico. Quanto mais simples e mais efetiva em resolver um problema e ampliar as oportunidades de negócios essa tecnologia for, melhor. E este foi o mote do SAP Forum de 2015, que aconteceu nos dias 17 e 18 de março, em São Paulo.

Para este evento, a T-Systems resolveu inovar e levar um veículo para simular o conceito de carro conectado, demonstrando aplicações da tecnologia SAP, principalmente Hana. A ideia, que partiu do nosso time de Marketing e Comunicação, contou com o apoio de diversos profissionais da empresa, desde as áreas de desenvolvimento até entrega.

Mas por qual motivo levar um carro era inovador? Primeiro, quantas foram as vezes que, no Brasil, se viu um carro em um evento de tecnologia? Segundo, e talvez mais importante, você já parou para pensar o quanto um carro pode significar uma reestruturação na forma como você pensa na interação com seus clientes? Um veículo é capaz de gerar informação o suficiente para atender as demandas de diversos mercados e transformar algumas abordagens.

O mercado global do Carro Conectado chegará a US$ 141 bilhões em 2020, segundo a Allied Market Research (o Camilo Rubim explorou muito bem este ponto em seu mais recente artigo). Esse montante é resultado de uma série de inovação que será demandada não apenas pelo setor automotivo, mas por outras indústrias.

Imagine o negócio de aluguel de carros. Digamos que eles queiram conectar os carros de suas frotas para saber como os clientes efetivamente usam os veículos alugados, qual a taxa de desgaste de peças, o consumo e combustível dos clientes e levantar dados do gênero para ter o perfil verdadeiro de condução de seus clientes. Para armazenar todos esses dados e fazer uma boa gestão do consumidor, será necessário, além de storage e networking, um ERP ligado ao CRM e ao sistema financeiro. Conforme os dados de um carro chegam, os custos de manutenção são levantados e automaticamente jogados em todo o sistema. Veja, não estou falando apenas dos sensores dos veículos, mas também de uma inovação para tratar big data no backoffice.

Com essas informações, seria possível cobrar o valor verdadeiramente justo de um cliente, pois já se sabe se ele costuma exigir muito mais do que o convencional do carro, o que gera mais custo de manutenção, por exemplo. Além do benefício para o negócio, o trânsito ficaria mais seguro, uma vez que o motorista saberá que sua conta ficará mais cara se ele fazer algumas “barbeiragens”.

Falamos do carro conectado, mas o conceito agrega tratores, caminhões, vans, empilhadeiras e todos os tipos de automóveis que podem receber sensores e gerar mais inteligência para gestão de informações.

São muitos os exemplos. Tecnologias como o SAP Hana certamente fazem a diferença em abordagens do gênero, pois não somente estariam no ERP como também no sistema de gestão do veículo. Quanto mais dados, de diferentes fontes, quanto mais rápido o acesso a essa informação, mais subsídio a empresa terá para se manter no mercado.

Obviamente, levar um carro ao SAP Forum significa que nós temos controle e conhecimento o suficiente das tecnologias SAP, a ponto de as integrá-las à objetos e coisas que não necessariamente são softwares ou hardwares da “forma convencional”. Nós apostamos na Internet das Coisas, mas temos claro posicionamento de que para estar à frente da IoT é necessário ter um backoffice preparado para lidar com uma nova forma de captar e trabalhar com dados.

Vale a pena reforçar um ponto muito forte sobre nossa parceria e capacidade de inovação com os compatriotas alemães: a T-Systems acaba de ser apontada pela PAC (Pierre Audoin Consultants) como a empresa que roda a maior plataforma SAP em nuvem no mundo. Efetivamente, o estudo afirma que “com mais de 40 milhões de SAPS (SAP Application Performance Standard) e mais de 2,6 milhões de usuários em produção, a T-Systems se posiciona como o maior hosting de nuvem da SAP em todo mundo”. Com isso, as nossas vendas em cloud cresceram cerca de 40% mundialmente, no último ano fiscal.

Lembro que há alguns anos a PAC já havia destacado a T-Systems como um dos melhores provedores de SAP em nuvem. Dessa forma, mantemos a linha de trabalho forte e focada nos benefícios de negócios que nossos clientes podem ter com os serviços das ferramentas da SAP. Globalmente, a T-Systems atende mais de 5 milhões de usuários SAP em 500 empresas, sendo 2,6 milhões deles as partir de sua nuvem. Hoje, a escolha de cerca de 80% dos novos clientes SAP conquistados pela T-Systems já é pela nuvem. Isto mostra também que, mundialmente, os CIOs e C-Level já encaram de forma diferenciada as capacidades da SAP e nosso conhecimento e capacidades em levar valor para eles.

Ao longo de 2015, a unidade SAP da T-Systems vai concentrar esforços em projetos de automação de empresas, sempre com foco em HANA, Mobilidade e Big Data. Para isso, estamos implementando internamente ferramentas para criação de ambientes que permitem reduzir em até 60% o tempo gasto para criar servidores, por exemplo. Vamos ainda automatizar a criação de novos ambientes dentro de servidores, otimizando o uso da mesma máquina e criando cópias homogêneas para testes.

Ainda no universo SAP, vimos que mobilidade começa a se tornar mandatório. Os usuários querem realizar processos via smartphones e tablets, e não apenas consulta-los. Vamos apostar nisso, levando o SAP Fiori com mais força ao mercado. Para tanto, contamos com um time qualificado e capacitado para transformar essas demandas em realidade.

Este é o ano da transformação da abordagem que a T-Systems dá ao SAP. Vamos alavancar a TI dinâmica, que conecta e integra sistemas, preparando nossos clientes para a internet das coisas. É o ano da inovação, da adoção de um modelo de negócios mais abrangente e de preparar o terreno para o que está por vir.

Sobre o autor

Ideval Munhoz

Ideval Munhoz

Com mais de 27 anos no mercado, sou diretor executivo da T-Systems do Brasil, uma empresa do Grupo Deutsche Telekom e uma das maiores integradoras e provedoras de computação em nuvem do mundo. Sou também membro do Conselho de Administração da T-Systems, presidente da T-Systems Argentina e diretor da Câmara Brasil-Alemanha.